Visão de Mercado

As 15 melhores transferências do Futebol Internacional

Após a pandemia motivada pela covid-19, que obrigou a paragem do futebol durante alguns meses e à quebra de receitas dos clubes, seria de esperar que o mercado de transferências sofresse igualmente consequências. Na verdade, foram vários os países em que o volume de negócios baixou (Espanha teve uma quebra de 75% no investimento em relação a 2019, Alemanha mais de 50% e Itália perto de 50%), tendo a Premier League voltado a ser o campeonato que mais gastou (1492 milhões de euros, apenas menos 157 ME em relação ao ano passado). Contudo, a maioria dos clubes conseguiu movimentar-se e apetrechar os seus planteis, sendo que os últimos dias foram bastante agitados. Assim, excluindo jogadores emprestados e tendo em conta factores como o valor da compra, potencial, factor surpresa, desempenho na última época ou impacto que podem ter nas equipas, o Visão de Mercado seleccionou as 15 melhores contratações deste defeso a nível internacional:

1.º Thiago Alcântara (Bayern Munique/Liverpool) – Aquisição extraordinária dos Reds. Thiago é um dos cinco melhores médios do mundo, vem de uma grande temporada no Bayern, onde conquistou tudo e foi peça chave na fase final da Liga dos Campeões (para muitos o melhor da final), e tem tudo para colmatar a principal lacuna do conjunto de Klopp, isto é, alguém capaz de oferecer criatividade ao meio-campo, técnica em espaços reduzidos, visão de jogo e qualidade de passe. Além disso, possui uma enorme experiência internacional, dando um certo pedigree extra ao plantel. Apesar de alguns problemas físicos que o assombraram no passado, vem de duas épocas a jogar muito e, aos 29 anos, ainda terá muito para dar, pelo que os 30 milhões acabaram por ser um valor bastante simpático para o gigante de Merseyside.

2.º Leroy Sané (Manchester City/Bayern Munique) – O alemão regressa a casa para ser uma das figuras de proa do campeão europeu e relançar a sua carreira depois de um ano em que mal jogou. Nas condições físicas ideais, Sané, que tem um perfil único, é um dos melhores extremos do mundo e um jogador capaz de dar uma nova dimensão às alas do Bayern pela sua velocidade aliada a muita técnica, capacidade no passe, drible e remate. Custou uns “escassos” 40 milhões de euros.

3.º Willian (Chelsea/Arsenal) – O craque brasileiro fez uma curta viagem até ao Emirates, após terminar contrato com o Chelsea, onde foi peça chave durante sete anos e conquistou vários títulos. Aos 32 anos, Willian é um jogador consagrado, que chega para acrescentar valor à equipa de Arteta. Traz experiência, técnica, qualidade no passe, nas bolas paradas e no remate. Fez 11 golos em 2019/20 e dificilmente existiria melhor solução a um preço tão reduzido.

4.º Luís Suárez (Barcelona/Atlético) – Movimento surpreendente e apenas possível pela enorme vontade do Barça se desfazer do uruguaio. O Atlético pagou um valor simbólico (transferência pode chegar aos 6 ME) e Simeone consegue o perfil de avançado que tanto queria e que, em teoria, será um enorme upgrade. Suárez vem de uma temporada menos feliz (mesmo assim fez 21 golos), mas traz muita qualidade em zonas de finalização, experiência de anos a lutar por títulos, agressividade e uma atitude e personalidade que encaixa perfeitamente nas ideias de Cholo. Com Suárez, os Colchoneros poderão reduzir a diferença para o duo da frente e prevê-se um ataque demolidor com João Félix.

5.º Achraf Hakimi (Real Madrid/Inter) – Vem de duas grandes épocas no Dortmund, sobretudo a última, com números muito interessantes, mas não contava para Zidane e, em Milão, poderá encontrar o espaço ideal para progredir. Conte privilegia um sistema com três centrais e dois alas, função que o marroquino desempenha com brilhantismo e onde pode ser uma séria mais-valia para os Nerazzurri pela sua velocidade, técnica e qualidade na definição. 40 milhões de euros por um dos melhores laterais do futebol europeu parece uma pechincha.

6.º James Rodríguez (Real Madrid/Everton) – Este arranque de época já deu para ver muito do que o colombiano pode dar aos Toffees, numa transferência que tem tudo para dar certo. Tal como no caso de Suárez, o Real queria libertar-se a todo o custo de James e ofereceu o colombiano ao Everton, onde reencontrou Ancelotti, um dos responsáveis pelo seu melhor período em Chamartín. O ex-FC Porto vem de uma época em que mal jogou (14 jogos), mas é um valor seguro e uma clara mais-valia para a formação de Liverpool pela sua técnica, visão de jogo, qualidade de passe, no remate e nas bolas paradas.

7.º Thomas Partey (Atlético/Arsenal) – Os Gunners esperaram pelo último dia de mercado e bateram a cláusula do ganês: 50 milhões de euros. No entanto, o valor não é nada exagerado se pensarmos que Thomas tem sido um dos médios mais regulares nas últimas três épocas e um elemento que, aos 27 anos, tem tudo para dar uma nova dimensão ao meio-campo de Arteta pelo seu raio de acção em campo, capacidade nos duelos e na gestão da posse.

8.º Timo Werner (RB Leipzig/Chelsea) – Após 95 golos em quatro épocas de RB Leipzig (34 na última), Werner iniciou a sua aventura na Premier League a troco de 55 milhões de euros. Avançado explosivo, que tanto poderá ser opção no meio como a partir do corredor, muito agressivo em zonas de finalização e que chega para ser um upgrade no ataque dos Blues.

9.º David Silva (Manchester City/Real Sociedad) – Perder Odegaard foi um rude golpe para os bascos, mas seria difícil encontrar melhor substituto. David Silva, que esteve com um pé na Lazio, chegou a custo zero para liderar o meio-campo da Real e, apesar dos 34 anos, tem tudo para ser uma mais-valia. É um dos melhores médios da última década, vem de uma temporada em que apareceu em 40 jogos e pela sua inteligência, qualidade na posse, visão e experiência, é um super reforço para Imanol.

10.º Sandro Tonali (Brescia/AC Milan) – Um dos médios mais cobiçados na Europa e no futebol italiano, em particular. Foi dado como certo no Inter, mas rumou ao rival Milan por números bastante simpáticos (chegou a falar-se em 60 ME a certa altura) e para os quais terá contribuído a paixão de adepto de Tonali. Médio muito promissor (20 anos apenas), que alia uma elevada qualidade técnica e capacidade de passe a uma boa agressividade e poder no desarme, e que dará uma nova dimensão ao meio-campo rossonero.

11.º Matt Doherty (Wolverhampton/Tottenham) – Era o melhor lateral direito fora dos big-6 ingleses e chega aos Spurs por um valor bastante acessível (16,5 milhões de euros). Era uma das lacunas na equipa se José Mourinho e, seja numa defesa a 3 ou a 4, Doherty será certamente um jogador importante pelo seu poder físico, competitividade, capacidade no jogo aéreo e chegada à frente, sendo que nas últimas duas épocas marcou 15 golos. O típico jogador feito que Mourinho gosta e que, aos 28 anos, chega para render no imediato.

12.º Dani Parejo (Valencia/Villarreal) – Perante a crise financeira dos Che, Parejo, capitão de equipa, foi oferecido ao vizinho Villarreal, que não rejeitou a possibilidade de adicionar um dos melhores médios da La Liga. Aos 31 anos, Parejo vem de grandes temporadas no Mestalla (muitos pediam-no no 11 da Espanha há pouco tempo), é um nome insuspeito e será certamente o patrão do Submarino Amarelo. Irá reencontrar Unai Emery que, ironicamente, o levou para Valencia.

13.º Chris Smalling (Manchester United/AS Roma) – O reforço mais desejado por Paulo Fonseca acabou mesmo por chegar. Após um empréstimo bem sucedido, onde foi um dos 3 melhores centrais do Calcio, o gigante central chega para dar outro poder à defensiva giallorossi, oferecendo a sua capacidade física, capacidade no jogo aéreo e bolas paradas, experiência e qualidade no desarme. Reforço que não precisa de adaptação e que, aos 30 anos, poderá dar um contributo importante nas aspirações da Loba.

14.º Jérémy Doku (Anderlecht/Rennes) – Um dos maiores talentos do futebol belga e europeu nesta altura (aos 18 anos tem já 4 internacionalizações A) e que dá aqui um passo teoricamente seguro. Irá estrear-se na Liga dos Campeões, tendo espaço num clube que está a valorizar jogadores e que lhe irá permitir crescer sem a pressão de lutar por títulos. Muito rápido, virtuoso e forte no drible, tem tudo para explodir na Ligue 1 e, se tudo correr normalmente, daqui a pouco tempo dobrar, no mínimo, o valor investido (27 milhões de euros).

15.º Jonathan David (Gent/Lille) – Outro enorme talento e com um percurso similar. O canadiano (20 anos) chega igualmente da Liga Belga, por 32 milhões de euros, valor recorde pago pelo Lille, o que diz bem do seu talento e da expectativa em seu torno. Avançado que alia uma boa capacidade física a uma técnica apurada, rápido e com bom poder na finalização (37 golos em duas épocas). Tem sentido alguns problemas nesta fase inicial, até porque a herança de Osimhen é pesada, mas tem tudo para explodir e duplicar o seu valor de mercado.

O post As 15 melhores transferências do Futebol Internacional aparece primeiro no Visão de Mercado.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Desporto ao Minuto é um portal de notícias de desporto, que organiza as últimas notícias e posts das redes sociais dos clubes em Portugal e, em breve, de todo o mundo!

Desporto ao Minuto 2019, Notícias de Desporto de Última Hora

To Top